IKCC_2018_Website_Bilder-VK_RZ_37-768x25
Tratamento

O seu médico apresentar-lhe-á as opções de tratamento e os resultados esperados, e discutirá consigo e com a sua família o desenvolvimento de um plano terapêutico que se enquadre na sua situação. O tratamento dependerá do tipo e estádio do cancro renal, e do seu estado de saúde geral. Todos os tratamentos têm vantagens e efeitos secundários, que deverão ser discutidos com a equipa de saúde.

  • Cancro do rim localizado, 

​​

  • Cancro do Rim Avançado.

Cancro Localizado

Por estranho que pareça, em algumas pessoas com um cancro do rim de pequenas dimensões (estádio 1), o melhor tratamento inicial é a observação ou “vigilância ativa”. De facto, nas pessoas mais idosas ou com outros problemas de saúde importantes, poderá ser mais seguro, de início, optar por vigiar o cancro através de exames e consultas frequentes com o oncologista. Muitas vezes, o cancro renal é descoberto por acaso, em exames que foram prescritos por outros motivos e que permitem detetar pequenos nódulos nos rins. Um tumor no rim com menos de 3 cm tem pouca probabilidade de alastrar para outros locais e, por vezes, o risco da operação é maior do que os seus eventuais benefícios. No caso de se optar por esta vigilância ativa, deverão manter-se as consultas de rotina regulares, para acompanhar o crescimento do tumor.

No caso de ser um tumor de maiores dimensões ou em crescimento, a primeira opção será a cirurgia. A cirurgia para remoção do cancro do rim é realizada por um urologista e pode consistir em remover uma parte do rim, situação que se designa “nefrectomia parcial”, ou a totalidade do rim (“nefrectomia radical”). Esta operação pode ser realizada através de uma incisão longa (“nefrectomia aberta”) ou por uma laparoscopia (“nefrectomia laparoscópica”), tendo esta última uma estadia hospitalar mais curta e uma recuperação mais rápida.

Se o tumor for pequeno (estádio 1, com dimensão inferior a 7 cm), poderá ser possível uma nefrectomia parcial, poupando o resto do rim. Se o cancro for maior (estádio 2) ou se tiver começado a alastrar (estádio 3), geralmente tem que se remover todo o rim, através de uma nefrectomia radical.

Se tiver que efetuar uma nefrectomia radical, o rim remanescente cresce e fica mais pesado. Tem que trabalhar mais para garantir até 75% da função renal total normal, em vez dos esperados 50%. A maior parte das pessoas consegue viver uma vida totalmente normal apenas com um rim.

Em alguns casos, a cirurgia pode não ser aconselhável, devido à idade do paciente ou à existência de outros problemas de saúde. Neste caso, poderão considerar-se outras opções de tratamento para um cancro localizado que não envolvam a cirurgia, como, por exemplo, a sua ablação por radiofrequência. Este procedimento consiste em, sob anestesia local, introduzir no tumor uma agulha com uma antena de micro-ondas, a qual destrói o tumor a partir do seu interior. Existem também novas possibilidades terapêuticas, como por exemplo a radioterapia estereotáxica (localizada ao tumor).

Tradução IKCC - International Kidney Cancer Coalition

Sede Nacional

Rua Tavares Belo, nº4-B

1750-279 Lisboa

NIF: 515756342

geral@ac-rim.org

Criado com o wix.com